10.8.17

Calendário da cidade

Novembros antecedem o natal
Preveem dezembros
Elaboram décimos
Começa pôr fim
E por fim
Abre recomeços.

Casciano Lopes

9.8.17

O contador de histórias

Se pernoitar na algema de minhas querências
talvez não haja cobertor para tanto frio,
já se eu amanhecer na liberdade
que risca o horizonte com a ponta do sol...
O dia poderá me concluir

e a noite inconclusa
esperará minhas histórias para dormir.

Casciano Lopes

Quase humano sem ser

Ao longo da vida
os sonhos vão se desmaterializando
se tornando imateriais assim como o corpo...
se convertem ao mais sublime,
a plenitude da essência que paira.

Casciano Lopes

Mãos trancadas e a maçaneta trincada

Se escrevo esperançoso por um mundo virtuoso
não é apenas por ser alfabetizado por dentro,
talvez seja por ter do lado de fora
da porta desse mundo um corpo analfabeto.

Casciano Lopes

Poema de garrafa

Não há destino certo para minha escrita
e nem porto seguro para as letras náufragas,
há mar nas minhas linhas
e sou ilha à quem a pena dá âncora...
As palavras abertas ao vento
saberão dizer o que calam os botes.
 

Casciano Lopes

7.8.17

Baús em cena


Quando o palco se desfaz
na luz que se desmancha em sombra
o espetáculo volta para a caixa
e o homem se desmonta
para caber na imaginação dos guardados.

Casciano Lopes

Do rio itinerante e seu homem retirante

Quando digo que ficarei,
o caminho mostra que nada sei de permanências...
A vida é flutuante e o que sei de mim
é apenas navegante na casa das águas.

Casciano Lopes

4.8.17

Tempo destelhado

Até na calçada deitada
Encontro inverno amontoado
Coração empoleirado
Gente de vida calada.

Casciano Lopes

Sacudida...

Hoje corpo metade
ontem posta saudade
posta à prova a coragem
e embaralha a linguagem.

...Liberdade

Ensina a contramão da mão
da lua sem rua a direção
e encurtada a praça da visão
mede e decompõe a fração.

...Coração

Estrada bêbada sem cachaça
pernas bambas pro samba da ameaça
descortina a febre da vidraça
enquanto apaga o fogo e assopra a fumaça.

...Couraça

Esculpida nos templos e escondida
arquivada no tempo que ora iludida
ora partida torcida e retorcida
mordida e caída ou dormida da lida...

Em forma de vida.


Casciano Lopes

Lampejo

Uma fagulha no palheiro
Uma agulha põe seu fim
Cortejo leva o corpo
Realejo o Eu enfim.

Casciano Lopes