10.8.17

Calendário da cidade

Novembros antecedem o natal
Preveem dezembros
Elaboram décimos
Começa pôr fim
E por fim
Abre recomeços.

Casciano Lopes

9.8.17

O contador de histórias

Se pernoitar na algema de minhas querências
talvez não haja cobertor para tanto frio,
já se eu amanhecer na liberdade
que risca o horizonte com a ponta do sol...
O dia poderá me concluir

e a noite inconclusa
esperará minhas histórias para dormir.

Casciano Lopes

Quase humano sem ser

Ao longo da vida
os sonhos vão se desmaterializando
se tornando imateriais assim como o corpo...
se convertem ao mais sublime,
a plenitude da essência que paira.

Casciano Lopes

Mãos trancadas e a maçaneta trincada

Se escrevo esperançoso por um mundo virtuoso
não é apenas por ser alfabetizado por dentro,
talvez seja por ter do lado de fora
da porta desse mundo um corpo analfabeto.

Casciano Lopes

Poema de garrafa

Não há destino certo para minha escrita
e nem porto seguro para as letras náufragas,
há mar nas minhas linhas
e sou ilha à quem a pena dá âncora...
As palavras abertas ao vento
saberão dizer o que calam os botes.
 

Casciano Lopes

7.8.17

Baús em cena


Quando o palco se desfaz
na luz que se desmancha em sombra
o espetáculo volta para a caixa
e o homem se desmonta
para caber na imaginação dos guardados.

Casciano Lopes

Do rio itinerante e seu homem retirante

Quando digo que ficarei,
o caminho mostra que nada sei de permanências...
A vida é flutuante e o que sei de mim
é apenas navegante na casa das águas.

Casciano Lopes

4.8.17

Tempo destelhado

Até na calçada deitada
Encontro inverno amontoado
Coração empoleirado
Gente de vida calada.

Casciano Lopes

Sacudida...

Hoje corpo metade
ontem posta saudade
posta à prova a coragem
e embaralha a linguagem.

...Liberdade

Ensina a contramão da mão
da lua sem rua a direção
e encurtada a praça da visão
mede e decompõe a fração.

...Coração

Estrada bêbada sem cachaça
pernas bambas pro samba da ameaça
descortina a febre da vidraça
enquanto apaga o fogo e assopra a fumaça.

...Couraça

Esculpida nos templos e escondida
arquivada no tempo que ora iludida
ora partida torcida e retorcida
mordida e caída ou dormida da lida...

Em forma de vida.


Casciano Lopes

Lampejo

Uma fagulha no palheiro
Uma agulha põe seu fim
Cortejo leva o corpo
Realejo o Eu enfim.

Casciano Lopes

11.7.17

Dito bem dito

Bendita a palavra em vocabulário
Bendito o dicionário que a contém
Bendita a língua que a distingue
Bendito o nativo que a compreende
...Acreditar
Bendito o verbo e quem o conjugar
Bendito eu que acredito.


Casciano Lopes

Audível alma da calma

O silêncio é música
Com sua partitura
Sua clave...

Só que muda
Toque de ouvido
...Suave.


Casciano Lopes

30.6.17

Recorte de globo sem rima - Poema nº 1111

O que fere o mundo de morte
Traz nos punhos algo pior que esgrima
Não tem no rosto nada de sorte
E nem nas mãos lauda que anima

O que mata o mundo sem norte
Não usa pois não conhece a estima
Faz da luta fugitiva sem passaporte
E do planeta uma casa sem clima

...A ganância sem aporte
Que se faz forte
Que o pobre lima
E a terra subestima

...A ânsia sem com quem se importe
O pacto e seu consorte
Que lavra do menino a sina
E empobrece a tela de uma obra-prima

Homem...
Sem porte.

Casciano Lopes

21.6.17

Profeta da rua

Se posso obstruir o caminho de alguém com xingamentos ou rótulos, também posso abrir passagem com elogios e delicadeza.
Filho, anjo, amado, entre outros, são adjetivos que moram na gentileza e as portas que ela abre jamais se fecham diante da aspereza.

Casciano Lopes

Das leveduras

O que fermenta a massa do outro
talvez encruaria a minha,
só fazendo pesar a viagem e a bagagem.

Casciano Lopes

Impresso confesso de certidão

Na palma da lua
Ou nos dedos da rua
Quem sabe nos braços da grua
Nasça um menino por uma mão tua
E sem nome na pressa, na prece tão sua
No verso da reza escolhas Poema e na linha tatua.

Casciano Lopes

Atemporal... A poesia

Que a poesia justifique os meios
Afinal sou o meio
É só do que lembro
E do que lembro sei
Que o fim ou começo
Ou que no começo do fim
Só a poesia contará
O que esqueci de mim.

Casciano Lopes

20.6.17

Papo de passarinho - Entre ninho de voar, galho de ficar e céu de caminhar

Todos os dias você pode escolher ao acordar...
Pés no chão ou asas pra voar?


Casciano Lopes

O incalculável existir

O que sobreviver de mim...
Largado ao descuido
ou cuidado pelo apego,
será sempre uma ínfima parte do que fui
ou uma fração dentro do tempo que serei,
tudo colocado na equação do eterno,
do que não se mede.

Casciano Lopes

16.6.17

Calada mão

O que cala também compõe
Não é porque calado não canta
Que não encanta.

Casciano Lopes

Riso espelhado

A alegria maior está no outro
O que está em você é reflexo.

Casciano Lopes

Um poema de mundo mudo

Uma letra muda
Um perplexo silêncio
...Um passarinho sem ninho
Deixa em luto um poeta
Sem poesia a caligrafia
...Um menino despedindo-se da pipa
Emudece o céu no bailado do vento
Desmerece a terra dos pés descalços
...E a poesia perde a fala, a roupa e cala.

Casciano Lopes

12.6.17

Sensação térmica

Moram no mesmo abraço
O vento que uiva lá fora
A mata encoberta de nuvens
O céu envergonhado de cinza
O frio que abraça o endereço

Sou eu...

O interessado
O braço dado ao abraço
Dono do abraço endereçado
Dos entrelaçados céus que teimam
...Abraçar-me.

Casciano Lopes

Assobio ou assovio?

Quem assobiar pode assoviar?

Apenas sei que nas frestas
De minhas janelas trancadas
Vazam uma melodia ventada
Fazendo assobiar minhas brechas
Enquanto assoviam os panos nos varais
Dentro de meus quintais em festa
E o cifrado vento apara as arestas da floresta

Enquanto eu... nem pio pra não atrapalhar.

Casciano Lopes

Texto e contexto

O avesso diz ao direito
de sua beleza
que por sua vez
só acomoda a mensagem.

Casciano Lopes

9.6.17

Ditado de compoteira

Que a vida surpreenda
Que o doce atenda a encomenda
E que no fim do doce ou no fundo do tacho
Saibas dizer da receita para que o outro aprenda.

Casciano Lopes

8.6.17

O que me possui

Tive rompantes na vida que é curta
Momentos que me encurtaram a visão e me vi duradouro
Longo como se fosse caminho de estrela
Comprido como sem medida o fosse.

Tive gasturas por feridas e não saber como fazê-las cicatrizes
Horas de equívoco em que não tinha o Tempo e o cronometrei
Duros e curtos segundos eram os meus
Longo era o tempo em que me perdia deles.

Tive posses e títulos de coisas e pessoas que nem eram minhas
Gargalhadas em dias e sussurros risonhos em noites
Que só deixaram brechas em mim e lacunas sem graça
Luto sem tecido fúnebre e com pouco corpo para chorar

Tenho a certeza de que sim, a vida é curta
Mas que não precisa ser pequena e nem as paredes tão tortas
Ainda me resto alvenaria e do que aprendi tenho muito...
Muito do que faltava e que na verdade sempre esteve aqui.

Em meu compartimento de Tempo, do que eu possuir.

Casciano Lopes

2.6.17

Tempo está

Do tempo que não sou dono
E do tempo que se emprestou
Do qual não sou possuidor
Nem senhor de hora nenhuma
Diminuto homem frente ao seu estar
Seu altar sem passar
Porque tempo não passa
Quem se espreita por entre seus dedos
Sou eu...
Sou eu que passo
Quando a reza acaba.

Casciano Lopes

19.5.17

Um dia de maio

Os 17.030 dias que tenho
indicaram a gratidão
como a oração
que faz intervalos
de chegadas e partidas
na estação.

Casciano Lopes

Água em rima

Deixe ser lavado...
Os mundos
Os fundos...
Da alma
Da calma
Das ruas de tua palma
Dos guetos de teu trauma.

Das escadarias de teu bom recomeço
Das ladeiras de teu querer espesso
Deixe ser lavado...
Teu preço
O coração e dele o endereço
Teu avesso
E o direito travesso.

Casciano Lopes

17.5.17

Eco

Para falar de dor a gente escolhe o chuveiro porque a água lava,
já para falar de amor a gente escolhe a janela e grita bem alto
para que o som dobre as esquinas do mundo.

Casciano Lopes

15.5.17

Sorriso em lenço

Você pode passar a vida chorando...
Mas também pode secar o pranto de outros,
a escolha se abriga no sorriso.

Casciano Lopes

2.5.17

Sou partitura

O som que vem do Cosmos
é capaz de me fazer canção
e os acidentes só me embelezam.

Casciano Lopes

Além muros

O mundo fica perigoso quando fica do tamanho do seu quintal. 

Casciano Lopes

Flor em Ser

Nos quintais brotam flores...
Basta não cimentar teu chão.

Casciano Lopes

Caminho de tinta

Se me perguntarem da alegria do palhaço,
eu responderei que não está nas tintas...
Ou está acolhida nas mesmas gavetas onde ele guarda os sapatos
ou na estrada onde eles foram gastos.

Casciano Lopes

Tive

o cheiro da terra molhada,
a cantiga de roda em minha janela,
o cavalo de pau e o caminhão de latinhas.
Tive?
Tenho!

Vivem todos no meu homem e me endereçam o vestir.
Me dão palavras ao sentir.

Casciano Lopes

5.4.17

Chão dos olhos

Até a água mais turva
quando escorre nas calçadas
feito pranto em leito sujo
ameniza a poeira deitada...

Frescor na estrada molhada.

Casciano Lopes

27.3.17

Na maioridade do mar

Não sei se é a idade
Não sei se a necessidade
Se por cabimento ou falta dele
Já que o espaço é de pouco compartimento...

Que a gente entende que as promessas são líquidas
Que as palavras se perdem na segunda página do livro
E compreende que o amor que proclamam é condicional...
As pessoas não sabem nada da incondicionalidade do amor.

Muitos querem visitas e cortejos
... pouco visitam e pouco cortejam
...querem um apreço desmedido
E o preço é cobrar caro por cada 'não posso hoje'.

Esquecem-se de que o ditado diz que a distância é a mesma
Elaboram dentro de si normas das quais se excluem
Aprimoram seus indicadores e enferrujam os outros por desuso
Por descaso falam mais que ouvem e perdem-se nos excessos.

A distância entre duas pessoas não cabe em tabela e estatísticas
Não deve manchar história e sim limpá-la caso haja necessidade
A universalidade desconhece o 'Outro' e prega o 'Todos Um'
O amor que caminha por esse chão deve durar até que finde o livro.

Todos querem ser ouvidos... Ouvir, só se for o que precisam
Todos querem estender a mão... Só que para serem içados
Todos querem que fique bem... Para cumprir seus desejos
Todos querem que você não mude... Uma zona de conforto.

Depois de uma tormenta, você aguenta
Não mais a servidão dos compromissos
A auto-indelicadeza dos gentis 'eu vou'
E sim, sustenta o aprendizado
Reinventa um homem capaz
E descobre que o pouco ou quase nada
Era o tudo que faltava
Que o ontem não se repete
Assim como o amanhã não nos compete.

Somos feitos de hoje,
Nossa essência é repleta de 'agora'
Temos a nós mesmos
E isso é tanto que não tememos mais
Não saber nadar e ainda assim, não temer o mar
É coisa que as águas ensinaram e a certidão que cada dia nos envia
Diz... Você pode!

Casciano Lopes

Três em um

A coerência entre fala, pensamento e ação
é um aprendizado de uma vida inteira.
se ao fim dela eu tiver falhado nisso, terei sido metade
preciso de inteiros, não quero ser fraude.

Casciano Lopes

Não, obrigado

O que se obriga
Sofre a pena desabrigado

Casciano Lopes

20.3.17

Transbordante

E a vida precisa ser abundante,
bem mais que um sopro delirante
ou um suspiro sufocante...

Casciano lopes


10.3.17

Alinhavo

Onde andará a costura desajustada que deixava frouxa a calça pendente?
- Pendia ao chão nu que bebia toda a nudez do tecido sobre si derrubado.
Por onde se foi o povo que espiava por entre as frestas de voyeur?
- Dizia não saber e nem ter visto a nudez sem dó descosturada.
Talvez os olhos espichados um alfaiate coseu 
Cerziu as brechas curiosas e não divide mais a nudez
Por ora sem castigo.

Casciano Lopes

Fogo?

Só ronda a fogueira quem precisa do fogo...
ou para aquecer-se, ou para queimar-se.

Casciano Lopes

Urna em prévia

Eu escolho...
Os momentos pela pele
As pessoas pelos olhos
As verdades pelo silêncio
Os sonhos pela coragem

Ora pois...
Porque o que não escolho
Vem sozinho
E se vai só
Pelas escolhas que fiz antes.

Casciano Lopes

5.3.17

Cortar a fita onde você é seu competidor

Que não seja
Um ponto de chegada
E sim de partida
Não de parada
Mas ponto de disparada
... Acontece todo dia
A largada por todo o dia.

Casciano Lopes

Miudamente

Na vida pequena
Pequena é a mão que não alcança
A contramão que opostos distancia
Pequena é a rede que o pouco corpo balança
A casa é pequena para tamanho esforço
O relógio é pequeno para tantas horas
Diminuto para tanto tempo e que há muito tempo
Não cabe nas horas grandes
No infindo mundo dos infinitos mundos
O pulso é pequeno para tanto palco
E o tablado já não sustenta a vida pequena...
Afinal, será pequena?

Casciano Lopes

23.2.17

A princípio... tenha princípios

Não se trata de ter
É sem posses o ser melhor.

Casciano Lopes

Ai que susto!

Vinha a vida tão dividida na estrada,
quando rosnou a crueldade...
Rapidinho tomou partido
Fincou um lado
Aprumou os pés
Alinhou a coluna
Adestrando a desmedida, agora calada.

Casciano Lopes

Entre margens e leito

Rio que chora forma lagos,
veste os mares de águas e acalma a sede dos cantores...
Rio não é coisa de viver calado,
ensimesmado ou num soluçado.
É vertente que molha caminhos,
lacrimeja ninhos e sorteia no percurso de uma pele,
uma gota de seu choro no pântano de meninos.

Casciano Lopes

Apólogo descadeirado

Sabe-se que a mesa acolhia as cadeiras como suas, até porque as pessoas ali sentavam para as rodadas de palavras e gargalhadas e cada vez que isso acontecia, mais ela se convencia.
O tempo correu e furtou primeiro os encostos das cadeiras e nada a mesa pode fazer, toda manchada de fundos úmidos de copos descadeirada ficou.
Triste, percebeu que o tempo e não o homem que roubou as cadeiras era seu possuidor... Fechou acordo com ele e desde então, não se empresta aos assentos, nem aos momentos que roubam.
O tempo colocou toalha de renda e um vaso de flores, de forma que hoje a vida é sem tempo pela mesa que não passou.

Casciano Lopes

Beija-flor

Há uma ave na minha lapela e um beijo de flor solto na banguela,
encontre-os.

Casciano Lopes

22.2.17

O amor e o tempo

Depois de quase 21 anos você aprende...
Que a magia dos encontros é que torna possível a vida.
Que determinados dias acontecem porque sem eles nada faria sentido.
Que pessoas nascem porque outras precisam crescer ao seu lado.
Que o amor é a cura necessária para uma plena existência.
Que o tempo não existe e que tantas quantas vidas ainda houverem.
... O amor responderá ao chamado de um pelo outro.
Depois do primeiro olhar.
Depois do primeiro toque...


Você entende.

Casciano Lopes
Para Carlos Almeida Lopes

2017

Amigos com gratidão

Aos amados amigos que nunca se cansam de me surpreender, aos que pintam meu céu de sol, aos que desfazem as nuvens pesadas, aos que orvalham todos os dias as minhas sementes, aos que tiram com as mãos as dúvidas e que com as mesmas mãos devolvem um punhado de esperança...

Fica aqui o meu apreço por cada coração que amo mais que ontem e que ainda mais amarei amanhã.
Um grande abraço de poesia na alma dos amados.

Casciano Lopes


17.2.17

Calado grito

De modo que um longo som
pode até quebrar um copo de cristal
mas um silêncio mesmo que curto
pode fazer vibrar um olhar atento.

Casciano Lopes

Linha sem posse de um curvo mundo

Fiz amigos pelo mundo
porque talvez o compreenda como meu
o amigo
o mundo.

Fiz a letra
por ter certeza que não é minha
a poesia,
só a caligrafia.

Casciano Lopes

Calada passagem

Na poesia,
o pedrisco e o pedregulho
quando se encontram na rua
versam numa prosa...
e o povo que cala as calçadas
nem percebe a música dos passos
...imagine a canção das pedras.

Casciano Lopes

Ala dos alados

Quando
a
gente
caminha
nas
nuvens
não
importa
a
estrada
de
chão.

Casciano Lopes

Gratidão sem paga

Enquanto acharmos que só as grandes conquistas,
as exorbitantes quantias e afortunados prêmios
merecem comemoração...
estaremos à margem da gratidão.
Vale mais um sorriso ganhado do desconhecido
que um aperto de mão pago do patrão.

Casciano Lopes

Vertedouro

Se a boca esquecer
o coração manda dizer
que do amor há de viver
tanto a boca esquecida
quanto a alma escondida,
se fará num sopro de lábio a verter.

Casciano Lopes

17.1.17

Lavadeira

A lágrima que lava a terra
que faz poça e encharca a serra
também leva a febre da vista
molhando de leve o que dela se avista.

Casciano Lopes 

Ninguém se afoga

Quando a boca rasga em céu,
é no mar da língua que o amor nada
e a poesia navega em calma,
voa em alma os pés de véu.

Casciano Lopes 

12.1.17

Soluço em linha

A poesia teve medo...
viu a garça triste na beira do lago
e o lago tão triste quanto sujo e sem poesia
...teve medo
A poesia ficou medrosa
viu a praça se despir de gente
e o banco tão triste quanto nua a poesia
...teve medo
A poesia se curvou amedrontada
viu velhos sem lenços de embalar clamor
e suas veias saltadas quase sem tinta e pena
...tiveram medo, perdendo a cor

Ela teve medo...
A poesia
A que faz da letra triste
verso
E de verso triste
...Poesia.

Não há choro longo que não se dobre
E que não se encurte num poema
numa linha de poesia.

Casciano Lopes