5.8.16

Sacro lar da palavra

Houve um tempo em que pensei ver meu livro nas vitrines das livrarias,
depois pensei em contemplá-lo satisfeito nas estantes dos amigos,
por fim acordei comigo que já seria suficiente tê-lo na minha estante,
um pouco mais adiante imaginei que bastavam os leitores virtuais e que fossem muitos,
aí me dei conta que uns poucos já justificariam a palavra e sua forma de dizê-la.
A poesia é a única que quando se refere ao ontem fala de tempos,
os meus, guardo-os todos,
com cada importância,
com cada ontem,
embora hoje ainda busque o tempo da palavra
no templo de um leitor.

Casciano Lopes

29.7.16

Mal e mau passado


Sobre a fome

Pense nos motivos para agradecer
e nas razões para fazer algo,
só assim um dia poderás dizer
que de fato viveu nesse mundo,
caso contrário,
só terá passado por ele
sem dizer muita coisa.

Casciano Lopes

22.7.16

Secreto bombardeio

...Das batalhas
que são vencidas diariamente
do lado de cá da trincheira,
só vestindo a farda pra saber,
já da guerra...
Todos ouvem rumores
e nem todos sabem dela.

Casciano Lopes

20.7.16

Moro onde moram os amores

Nosso bem querer tem capacidade de arquiteto,
feito projetista o coração constrói,
rua de casas coloridas com telhados avermelhados,
quintais esverdeados sem muros
e praças com seus bancos encerados...
Depois de tudo,
planta as pessoas amadas,
todas próximas umas das outras,
dividindo o açúcar
das paredes geminadas.


Casciano Lopes

15.7.16

Pátria amada

Ela finge gravidez pra furar a fila
Ele finge deficiência pra estacionar em vagas especiais
Ela comemora e esconde o troco a maior do bilheteiro
Ele comemora receber em duplicidade o pedido feito
Ela mente a idade pra entrar nos locais fechados
Ele mente pra conseguir benefícios do governo
Ela burla o sistema de ensino pra conseguir gratuidade
Ele burla as leis pra usurpar direitos de outros
Ela usa espaços reservados para idosos
Ele usa vagas e estaciona em locais proibidos
Ela desrespeita quando finge dor pra pegar atestado
Ele desrespeita quando dá a famosa 'carteirada'
Ela abre e esconde embalagens no supermercado
Ele esconde e abre em casa seus pequenos furtos
Ela ignora o farol fechado e a faixa de pedestres
Ele ignora seus pontos na habilitação e paga a fraude pra zerar
Ela camufla seu veículo detonado na vistoria
Ele camufla sua falta de conhecimento com 'cola' nas provas
Ela frauda a lista de presença das aulas e o livro de ponto
Ele frauda a seguradora e comemora o pecúlio
Ela fica feliz quando é promovida na demissão do colega
Ele fica nervoso quando isso não acontece com ele.
... Todos na passeata contra a corrupção por um país mais justo.

Casciano Lopes

Vítima de capitais

O homem com preguiça
acredita que a inveja
credita-lhe algum bônus,
ao menos no que se refere
à justificativa pelos pecados,
afinal comete dois.

Casciano Lopes

Veredito

Num tribunal onde a verdade vigore,
a mentira aprende rezar.

Casciano Lopes

13.7.16

A linha que não finda

Quando mudam os tempos verbais
E passado e futuro fazem do presente uma confusão de tempos
Quando o tempo fecha lá fora ventando pra longe o azul do céu
E nossa casa se perde no tempo sem saber se é inverno ou verão
Quando o tempo avança dentro da gente feito hora com pressa
E a gente sem tempo perde tempo tentando encontrá-lo
...É tempo de pausar tudo, de brecar nos trilhos o trem de ferro
...É chegada a hora de destruir relógios
E deixar que apenas a alma em tempo administre nossa ferrovia
Porque afinal e por fim, só mesmo ela entende de tempo.

Casciano Lopes

Multi

Eu posso entender a vida como única,
finda como finda um dia, o dia
ou posso entendê-la como fração
de um inteiro sem fim,
repleta de meios,
certidões de início
e de equações resolvidas ou não,
por fim.

Casciano Lopes

Dor[mente]

Na loucura da imaginação cabe tudo...
cabe a solidão e o medo dela
e até uma pequena cabana na beira do rio
com suas águas e peixes no cio.

Casciano Lopes

8.7.16

Com os anos

Entendemos que os dentes denunciam a nossa idade,
entendemos que os cabelos se não nos abandonam mudam de cor,
entendemos que cambalear não é mais apenas uma questão de bebedeira,
entendemos que a audição adquire a difícil tarefa de omitir sons,
entendemos que a visão recebe o dom de encurtar o caminho,
entendemos que as bolsas ao redor dos olhos não são mais sinônimos de baladas,
entendemos que as mãos reduzem seu poder de força,
entendemos que toda a pele se vinca em verdadeiros vales,
entendemos que a virilidade quando nos abandona nos deixa menos alegres,
entendemos as dores e inclusive lamentamos que a memória esqueça de tudo... menos delas... das dores.
No entanto, tão logo entendamos, precisamos adaptar a estrada,
colocar barras de proteção e sustentação por toda ela,
que essas barras [arrimos] tenham bases para suportar o toque das mãos que passam a ser leves e que o chão suporte os anos de um caminhar mais lento.
Que no intervalo entre o entender e o aceitar tenhamos aprendido a dizer sim mesmo diante de um não, que tenhamos de fato adquirido a sabedoria, sabendo que ela também pesa, porém, é o que nos fará levantar voo.

Casciano Lopes

6.7.16

Onde a poesia toma de assalto

Há mais poesia
na escadaria
na viela
na ladeira
no beco
no gueto
que talvez
na praça de vidro
onde tudo é proibido
ou na avenida de cristal
do frágil homem iludido.

Casciano Lopes 

Status válido

Ainda prefiro uma verdade calada
do que uma mentira falada.

Casciano Lopes

Trama de letras

Preciso vestir o peito e as costas
e que sobre tecido para cobrir os braços
ao menos em suas metades

Que deixem de fora as mãos
que sejam inteiras ...as mãos
e que os dedos sejam leves

Como penas que escrevem
de forma sem dó, sem medo
que todos os dez sejam corajosos

Para poetizar o tecido
que cobrirá a coragem de dizer
de forma nua o que precisa ser dito

E que as letras ao me desenharem a pele
tenham a delicadeza de respingarem pés e pernas
para garimpar ao caminhar o toque tecelão da vida.

Casciano Lopes

Sopram correntes

Quando me aperto num canto feito de breu
e me espremo nas lacunas do gueto feito meu

vem a nuvem e me acaricia com sua mão

quando carregada me encharca o chão
quando dirigível me transporta então

ocasiões sem 'teu e meu', mesmo que eu seja um plebeu.

Casciano Lopes

25.6.16

Das gratas mãos

Enquanto você não sentir confiança de segurar em tuas próprias mãos, admirando-as pelo trabalho feito e abençoando-as para fazer o que falta, não estarás pronto para estendê-las a quem quer que seja.

Casciano Lopes

24.6.16

É justo agradecer

A gratidão
ainda é uma das formas mais gentis
de morar no Universo.

Casciano Lopes

Intersecção do sujeito

Se esconder nunca foi caminho
nem se omitir foi estrada.

Por vezes nos sentimos ruelas
vielas de escadarias apenas.

Mas se nos emprestarmos aos passos
nos descobriremos ruas largas.

...Avenidas inteiras.

Casciano Lopes

20.6.16

Rio de rios

Foi no riso e do riso
a possibilidade que se fez
de travessia
e o rio fez-se amigo
quando sorri.

Casciano Lopes

10.6.16

Brevidade

Tenho urgências,
talvez por isso,
as noites são breves
e os dias encurtam-se,
ontem mesmo era um garoto de 8 anos,
hoje, um homem com pressa.

...A velocidade que me mata
é a mesma que me faz zerar o cronômetro
pra vida render mais um tanto
e em cada fôlego, inspiro cuidados
enquanto expiro o carbônico desejo de mais,
porque tudo demais... Mata.

Casciano Lopes

23.5.16

Silêncio produtivo

Quando eu perder a capacidade do encanto com o novo
Quando me sentir preguiçoso para uma mudança
Quando não sentir desejo por um aprendizado
Quando um diferente caminho não me tirar da cadeira
Quando o frio calar minha vontade
Quando o calor fizer suar a minha disposição...
Já não estarei mais aqui, mas enquanto estiver
...Os pulsos se movimentarão e dispersarão a rotina
Pois o silêncio de minha missão faz barulho em minha retina.

Casciano Lopes

Analfabeto de calendário

Não limito o tempo
pois não existe

limito a vontade
de desacreditar disto.


Casciano Lopes

22.5.16

Rótulo sem amor

Se mantém vida discreta... é metido
Se não bebe... é companhia chata
Se não fuma... está desenquadrado
Se ronca... não é convidado pra noite
Se não come carne... é fresco
Se gosta de MPB... quer ser elite
Se ler... é sabichão
E se não... é burro mesmo
Se for caprichoso... tem TOC
Se não for... é porco
Se mais ouve... não tem o que dizer
Se mais fala... quer aparecer
Se chora... é fraco
Se não chora... não tem coração
Se evita brigas... é covarde
Se enfrenta... é violento
Se não aceita o convite... é chato
Se gosta de festas... é boêmio
Se emagrece... está doente
Se engorda... é comilão
Se faz muitos cursos... não sabe o que quer
Se gosta de academia... é mente vazia
Se pede ajuda... é inconveniente 
Se não pede... é orgulhoso
Se fala a verdade... é grosso
Se não fala... é falso
Se não publica política nas redes... é alienado
Se não frequenta templos... é ateu
Se veste moda... é gastador
Se não anda nela... é atrasado
Se diz o que pensa... é irresponsável
Se tem opinião... é radical
Se briga por direitos... é extremista
Se não briga... é acomodado
Se não tem emprego registrado... é preguiçoso
Se divide o que tem... é esbanjador
Se não divide... é egoísta
Se grita... é baderneiro
Se fala baixo... é medroso
Se mudar de ideia... é leviano
Se não mudar... é turrão
Se é muito educado... é gay
E seu contrário... não teve berço

Enfim,
assim vivemos
em um mundo de regras
desnecessárias imposições

Se regra há... falta amor
se falta amor... falta teto e chão
falta tudo onde ele é solução.

Casciano Lopes

Sem estacionamento

Não é a altitude dos passos que importa
nem a velocidade, nem a quilometragem
vale cada dia... velocímetro não zerado
...passo dado.

Casciano Lopes 

18.5.16

Sem hora

As horas pulam de seus relógios
Da altura de seus ponteiros precipitam-se
Nadam no esquecimento do mar sem tempo


Quando o impossível acena suas possibilidades
Quando o antigo amigo nos aperta entre os braços
Quando o renovo nos faz nascer de novo

E de novo as certidões com seus endereços
Nos apontam rumos, acordando
Acordos do que era um improvável despertar.

Casciano Lopes

10.5.16

Aprendendo o que não sabia

E eu nem sabia
que sabia falar
que podia sentir

e que ao saber
saberia uma vida
e de outras vidas

eu saberia

e sentiria sentido
o que sinto aqui
sentido só com você
agora sei.

Casciano Lopes
Para Carlos Almeida
Em maio de 2016
Nas comemorações dos 20 anos
Aprendendo o que não sabia.
Nas vésperas de se tornar efetivamente um Almeida,
doando um Lopes.

Coração de corais

Encontrei uma forma de morar onde gosto
Emprestei minha casa para o mar
E desde então
...É lá que vivo.

Casciano Lopes

20 anos


17.4.16

Grata graça e agraciado


Que as graças sejam alcançadas
tantas quanto forem necessárias
...não merecidas,
pois deixam de ser graça,
favor nenhum se faz
ao que merece pagamento.
Graça...
o único assento que se dá ao cansado
o último abrigo ao destelhado
o fim do túnel iluminado
ao da vela apagada.
Que seja sempre de graça
a que cobre de doce o fel,
a graça...
Que tira do amargo a amargura
trocando por doçura
a vida do agraciado.

Casciano Lopes


Este é o poema de número 1000 no blogue!
O Sino do Tempo (sinodotempo.blogspot.com), desde 2010, tem como seu lema "Por um mundo em versos". Nestes últimos 2135 dias, com quase 40.000 acessos em mais de 70 países (falando estatisticamente isso dá uma média diária de 18 acessos, com aproximadamente 1 poema escrito a cada 2 dias), o número é expressivo lembrando que estamos falando de poesia e que infelizmente ainda é um gênero comercialmente pouco difundido. Estou cumprindo o lema com gratidão aos queridos amigos e leitores, os que sempre me incentivam com suas visitas e comentários. Obrigado aos parceiros que me publicaram nesse tempo tão necessitado de poesia, em especial a Revista Romena HLC, ao Projeto Alma Brasileira Poemas, Ao Cantinho Girassol e a Revista Literária O Emplasto, entre outros. Gratidão também aos 1074 amigos do Facebook e aos que compartilham gentilmente meus textos, sempre me comovendo com seu carinho e apreço, grato sempre por fazerem parte da semeadura.

Mãos gratas

Na
correnteza
das
letras
encontrei
o
que
me
acode

Desde
que
poesia
letrei
fiz
casa
sobre
o
açude

Que
finde
em
alude
os
versos
em
dias
amiúde.

Casciano Lopes

Rua e travessia

Para a poesia
um menino
atravessando a rua
é o mesmo que a rua
atravessando o menino.

Casciano Lopes

Em nome da positividade

Até onde me for permitido acreditarei no Outro
Na força do pensamento como fonte energética
E no coletivo como uma estação geradora.

Casciano Lopes

Normalesco

De loucura foram atravessados oceanos
De insanidade nações se ergueram, agora...
Tenho medo dos ditos sãos
Que podem adoecer a terra com seus venenos.

Casciano Lopes

12.4.16

O homem vende o que a terra dá

A banana da feira vale menos que a gratuita dos quintais
Não vale nada, se por perto rondar a valia
E o menino de perto não poder comer do fruto...

Casciano Lopes

Um destinatário de 1980

Quando a carta bateu em seu portão
Tomou fôlego e correu
Correu como se fosse ler o portão
Abrir o carteiro
Rasgar a distância entre a porta e a fechadura
...Cansou e puxou mais coragem
Desfez a lonjura do remetente
Cheirou a tinta e se impregnou das cores
Puxou a cadeira, ofereceu café
E lia todo o dia, o dia todo o que vinha em poesia
Quando naquele ano ainda se escrevia.

Casciano Lopes

Andamento do tempo entre a mala e o destino

Tracei caminhos para a viagem como um compositor escrevendo partitura, aproveitando os acidentes para adornar a melodia.

Casciano Lopes

Quebre você a vidraça

A criança do asfalto pode querer um abraço
Não cruze os braços atrás do vidro.

Casciano Lopes

11.4.16

Com o tempo...

Perdemos as mãos que seguram os primeiros passos
Desapegamos do amigo imaginário
Esquecemos das cantigas de roda
Fugimos dos contos de fada

Ganhamos carteiras escolares com novas personagens
Vestimos novas roupas e obrigações
Conhecemos um mundo frágil e virtual
Recebemos bilhetes para a competição

Enquanto...

Desaprendemos a essência
Descaracterizamos as lembranças
Obstruímos as pontes do natural
Roubamos de nós mesmos a sutileza

Alforriamos a gentileza
Degolamos sem piedade a caridade
Linchamos em praça pública a solidariedade
Comemoramos a maioridade das inferioridades

Quando...

Percebemos a distância percorrida na estrada
Avistamos proximamente a chegada da descida
Fincamos a bandeira da fisicalidade no topo
Lamentamos o momento se não possuirmos uma

Declinamos desembestadamente ao inevitável
Passamos pelos dentes perdidos
Sofremos na carne as doenças dos que amamos
Cumprimentamos de perto a distância de tantos

Finalmente...

Alisamos a cabeça clara ou desprovida
Fuxicamos os bolsos para proteger o que resta
Comemos o possível porque o impossível já não cabe
Alimentamos a saudade do que se mostra distante

Fingimos vida útil para o Tempo
Iludimos as memórias que se perdem com o tempo
Perguntamos o tempo todo para o Tempo sobre o próprio tempo
Suspiramos, por derradeiro, aprendendo que tempo não gera tempo

Ilusório tempo.

Casciano Lopes

2.4.16

Hotel sobre pés

Quando não encontrei quarto
com cama na horizontal para o repouso
e nem lençóis perfumados para o sono
fiz do corpo um abrigo vertical
e da consciência o lençol branco
onde pude descansar
e sonhar tempos melhores.


Casciano Lopes

O Homem leve e o Tsunami

A vantagem dos bolsos vazios e das malas desocupadas,
mora na rapidez com que se escapa de uma tormenta.

Casciano Lopes

Um mar de quintal no anúncio

Queremos um quarto grande com banheiro amplo, cozinha e área de serviço independentes e podem ser pequenos, temos preferência por armários embutidos. Reduzir é meta e viver é a máxima. Um lugar para um casal simples com seu pequeno jardim interno e um lindo cachorrinho que atende por Bento.
O lar já existe...
A casa está no futuro próximo...
O jardim em construção...
O Bento em gestação...
O mar ainda é feito de amanhãs.

Casciano Lopes

Interiores

Enquanto dividia o espaço usando a imaginação como paredes,
ele preenchia os sonhos com elementos vazados
para não impedir o voo.

Casciano Lopes

24.3.16

Não costumo substituir quem tem história

Herói é coisa que foge, pula a janela e desaparece
Por isso retoco todos os dias as fotografias dos meus
Ah... e prego na parede... Na memória com pregos de aço.

Casciano Lopes

Coisa calada

A morte também é palavra
...só que muda.

Casciano Lopes

Boca de sino

Há momentos em que as palavras dos que nos amam
ressoam em badaladas
como sinos que anunciam a missa e então,
mesmo esmorecidos,
nos vestimos de coragem
e cumprimos os ritos.

Casciano Lopes

Juramento

Não há alegria que não tenha cabimento
A gente aumenta o compartimento,
se lança na calçada feito cumprimento
para que o sobejo molhe rua adentro.

Casciano Lopes

21.3.16

Corpo anfitrião

Minha alma dança valsa,
no corpo desavisado frequenta teatros e vira ópera,
no soprano divino encontra motivos
e sopra em minha carne a necessidade de viver
e a prazerosa tarefa de carregá-la.

Casciano Lopes

16.3.16

Nuvens

São elas que remam quando os braços se cansam
Me apontam a direção e eu vou tranquilo
Por vezes bússola procurando amar
Por vezes asas ensinando planar
São no ar, o desenho do mar
Chamando e aguando
Até a espera
Estancar.

Casciano Lopes

14.3.16

Boa gente

Que nunca nos falte a poesia;
a que justifica os meios
sem comprometer o caráter dos fins.

Casciano Lopes 

Moinho

Com o passar...
do tempo,
das horas
e seu tempo de passar,
passa rindo,
passa depressa ou devagarinho,
indo feito passarinho,
longe da mão,
distante ninho,
do ninho,
aí você percebe,
o quanto fica pelo caminho,
que não deixa de ser caminho,
assim como o tempo de passar,
não deixa de passar o tempo,
de caminhar o caminhante,
depois outro e mais outro,
andante passa indo,
pois o tempo pode passar,
mas continua,
continua caminho
e quem fica à margem,
tem no tempo desalinho.

Casciano Lopes

Se sei digo que não sei

Quando quero falar com a poesia
penso no verbo como um estranho,
porque se eu entendê-lo como um velho amigo,
ele foge de mim,
escondendo um verso desconhecido.
Para fazer poesia
é necessário reinventar os verbos.
A poesia gosta disso.

Casciano Lopes