27.3.17

Na maioridade do mar

Não sei se é a idade
Não sei se a necessidade
Se por cabimento ou falta dele
Já que o espaço é de pouco compartimento...

Que a gente entende que as promessas são líquidas
Que as palavras se perdem na segunda página do livro
E compreende que o amor que proclamam é condicional...
As pessoas não sabem nada da incondicionalidade do amor.

Muitos querem visitas e cortejos
... pouco visitam e pouco cortejam
...querem um apreço desmedido
E o preço é cobrar caro por cada 'não posso hoje'.

Esquecem-se de que o ditado diz que a distância é a mesma
Elaboram dentro de si normas das quais se excluem
Aprimoram seus indicadores e enferrujam os outros por desuso
Por descaso falam mais que ouvem e perdem-se nos excessos.

A distância entre duas pessoas não cabe em tabela e estatísticas
Não deve manchar história e sim limpá-la caso haja necessidade
A universalidade desconhece o 'Outro' e prega o 'Todos Um'
O amor que caminha por esse chão deve durar até que finde o livro.

Todos querem ser ouvidos... Ouvir, só se for o que precisam
Todos querem estender a mão... Só que para serem içados
Todos querem que fique bem... Para cumprir seus desejos
Todos querem que você não mude... Uma zona de conforto.

Depois de uma tormenta, você aguenta
Não mais a servidão dos compromissos
A auto-indelicadeza dos gentis 'eu vou'
E sim, sustenta o aprendizado
Reinventa um homem capaz
E descobre que o pouco ou quase nada
Era o tudo que faltava
Que o ontem não se repete
Assim como o amanhã não nos compete.

Somos feitos de hoje,
Nossa essência é repleta de 'agora'
Temos a nós mesmos
E isso é tanto que não tememos mais
Não saber nadar e ainda assim, não temer o mar
É coisa que as águas ensinaram e a certidão que cada dia nos envia
Diz... Você pode!

Casciano Lopes

Três em um

A coerência entre fala, pensamento e ação
é um aprendizado de uma vida inteira.
se ao fim dela eu tiver falhado nisso, terei sido metade
preciso de inteiros, não quero ser fraude.

Casciano Lopes

Não, obrigado

O que se obriga
Sofre a pena desabrigado

Casciano Lopes

20.3.17

Transbordante

E a vida precisa ser abundante,
bem mais que um sopro delirante
ou um suspiro sufocante...

Casciano lopes


10.3.17

Alinhavo

Onde andará a costura desajustada que deixava frouxa a calça pendente?
- Pendia ao chão nu que bebia toda a nudez do tecido sobre si derrubado.
Por onde se foi o povo que espiava por entre as frestas de voyeur?
- Dizia não saber e nem ter visto a nudez sem dó descosturada.
Talvez os olhos espichados um alfaiate coseu 
Cerziu as brechas curiosas e não divide mais a nudez
Por ora sem castigo.

Casciano Lopes

Fogo?

Só ronda a fogueira quem precisa do fogo...
ou para aquecer-se, ou para queimar-se.

Casciano Lopes

Urna em prévia

Eu escolho...
Os momentos pela pele
As pessoas pelos olhos
As verdades pelo silêncio
Os sonhos pela coragem

Ora pois...
Porque o que não escolho
Vem sozinho
E se vai só
Pelas escolhas que fiz antes.

Casciano Lopes

5.3.17

Cortar a fita onde você é seu competidor

Que não seja
Um ponto de chegada
E sim de partida
Não de parada
Mas ponto de disparada
... Acontece todo dia
A largada por todo o dia.

Casciano Lopes

Miudamente

Na vida pequena
Pequena é a mão que não alcança
A contramão que opostos distancia
Pequena é a rede que o pouco corpo balança
A casa é pequena para tamanho esforço
O relógio é pequeno para tantas horas
Diminuto para tanto tempo e que há muito tempo
Não cabe nas horas grandes
No infindo mundo dos infinitos mundos
O pulso é pequeno para tanto palco
E o tablado já não sustenta a vida pequena...
Afinal, será pequena?

Casciano Lopes

23.2.17

A princípio... tenha princípios

Não se trata de ter
É sem posses o ser melhor.

Casciano Lopes

Ai que susto!

Vinha a vida tão dividida na estrada,
quando rosnou a crueldade...
Rapidinho tomou partido
Fincou um lado
Aprumou os pés
Alinhou a coluna
Adestrando a desmedida, agora calada.

Casciano Lopes

Entre margens e leito

Rio que chora forma lagos,
veste os mares de águas e acalma a sede dos cantores...
Rio não é coisa de viver calado,
ensimesmado ou num soluçado.
É vertente que molha caminhos,
lacrimeja ninhos e sorteia no percurso de uma pele,
uma gota de seu choro no pântano de meninos.

Casciano Lopes

Apólogo descadeirado

Sabe-se que a mesa acolhia as cadeiras como suas, até porque as pessoas ali sentavam para as rodadas de palavras e gargalhadas e cada vez que isso acontecia, mais ela se convencia.
O tempo correu e furtou primeiro os encostos das cadeiras e nada a mesa pode fazer, toda manchada de fundos úmidos de copos descadeirada ficou.
Triste, percebeu que o tempo e não o homem que roubou as cadeiras era seu possuidor... Fechou acordo com ele e desde então, não se empresta aos assentos, nem aos momentos que roubam.
O tempo colocou toalha de renda e um vaso de flores, de forma que hoje a vida é sem tempo pela mesa que não passou.

Casciano Lopes

Beija-flor

Há uma ave na minha lapela e um beijo de flor solto na banguela,
encontre-os.

Casciano Lopes

22.2.17

O amor e o tempo

Depois de quase 21 anos você aprende...
Que a magia dos encontros é que torna possível a vida.
Que determinados dias acontecem porque sem eles nada faria sentido.
Que pessoas nascem porque outras precisam crescer ao seu lado.
Que o amor é a cura necessária para uma plena existência.
Que o tempo não existe e que tantas quantas vidas ainda houverem.
... O amor responderá ao chamado de um pelo outro.
Depois do primeiro olhar.
Depois do primeiro toque...


Você entende.

Casciano Lopes
Para Carlos Almeida Lopes

2017

Amigos com gratidão

Aos amados amigos que nunca se cansam de me surpreender, aos que pintam meu céu de sol, aos que desfazem as nuvens pesadas, aos que orvalham todos os dias as minhas sementes, aos que tiram com as mãos as dúvidas e que com as mesmas mãos devolvem um punhado de esperança...

Fica aqui o meu apreço por cada coração que amo mais que ontem e que ainda mais amarei amanhã.
Um grande abraço de poesia na alma dos amados.

Casciano Lopes


17.2.17

Calado grito

De modo que um longo som
pode até quebrar um copo de cristal
mas um silêncio mesmo que curto
pode fazer vibrar um olhar atento.

Casciano Lopes

Linha sem posse de um curvo mundo

Fiz amigos pelo mundo
porque talvez o compreenda como meu
o amigo
o mundo.

Fiz a letra
por ter certeza que não é minha
a poesia,
só a caligrafia.

Casciano Lopes

Calada passagem

Na poesia,
o pedrisco e o pedregulho
quando se encontram na rua
versam numa prosa...
e o povo que cala as calçadas
nem percebe a música dos passos
...imagine a canção das pedras.

Casciano Lopes

Ala dos alados

Quando
a
gente
caminha
nas
nuvens
não
importa
a
estrada
de
chão.

Casciano Lopes

Gratidão sem paga

Enquanto acharmos que só as grandes conquistas,
as exorbitantes quantias e afortunados prêmios
merecem comemoração...
estaremos à margem da gratidão.
Vale mais um sorriso ganhado do desconhecido
que um aperto de mão pago do patrão.

Casciano Lopes

Vertedouro

Se a boca esquecer
o coração manda dizer
que do amor há de viver
tanto a boca esquecida
quanto a alma escondida,
se fará num sopro de lábio a verter.

Casciano Lopes

17.1.17

Lavadeira

A lágrima que lava a terra
que faz poça e encharca a serra
também leva a febre da vista
molhando de leve o que dela se avista.

Casciano Lopes 

Ninguém se afoga

Quando a boca rasga em céu,
é no mar da língua que o amor nada
e a poesia navega em calma,
voa em alma os pés de véu.

Casciano Lopes 

12.1.17

Soluço em linha

A poesia teve medo...
viu a garça triste na beira do lago
e o lago tão triste quanto sujo e sem poesia
...teve medo
A poesia ficou medrosa
viu a praça se despir de gente
e o banco tão triste quanto nua a poesia
...teve medo
A poesia se curvou amedrontada
viu velhos sem lenços de embalar clamor
e suas veias saltadas quase sem tinta e pena
...tiveram medo, perdendo a cor

Ela teve medo...
A poesia
A que faz da letra triste
verso
E de verso triste
...Poesia.

Não há choro longo que não se dobre
E que não se encurte num poema
numa linha de poesia.

Casciano Lopes

20.12.16

Discipulado

O
homem
mesquinho
explora
a
simplicidade
do
outro,
enquanto
que
o
benevolente
aprende
com
ela.

Casciano Lopes

Não definhe, dê fim nela

A raiva
é tão má conselheira
que não sabe falar...
agride,
seu portador não progride...
regride.

Casciano Lopes

11.12.16

Jardim de inverno

Aqui o vento
Canta e faz bailar a nuvem negra
Aqui dentro
A tempestade lava a planta
Tudo aqui dentro...
Dentro de mim

Onde flor se cria
E uma vez
Plantada
Adubada
Lavada
Ninguém arranca
Só procria.

Casciano Lopes

Controle

Cuidado com os excessos;
no cuidar,
no preocupar,
no delegar,
no controlar,
no limitar...

Não raras vezes o exagero se converte
no retrocesso de seu Eu,
no inverso de suas palavras,
tornando convexo o caminho reto,
deixando sem nexo sua direção
e perplexo você se perde dentro do próprio coração.

Casciano Lopes

10.11.16

Sossegai

Acalma tua calma
e reaprenda que apaziguar
é arte que começa por você.

Quando teu rio for tranquilo,
as corredeiras ao redor
copiarão teu ritmo.

Casciano Lopes

19.10.16

Bastidor

No bordado da existência
é preciso entender que a linha é curta para tanto pano
e que é na junção das múltiplas linhas que o desenho cria forma.
Precisamos caprichar na arte
para que outros a queiram continuar.

Casciano Lopes

14.10.16

No balanço do mar

Já passei por abismos quase sepulturas e estreitas pontes como que linhas puídas furtavam meu passo...

Sobrevivi para dizer que de fato o que não mata nos fortalece.
De tudo restou a graça de poder dizer que ainda é possível acreditar, de que quando tudo parece terminar ainda pode se recomeçar.
Aprendi que os amigos são mesmo os irmãos que o coração escolheu e que os dedos de minhas mãos contam os meus, antigos e presentes que ainda dão conta de meu hoje.
Aprendi que a família é um patrimônio caro e que nos ais ou no cais é ela que põe a mesa, que seca a lágrima, que guarda a calma em tempestade até que se acalme.
Aprendi que só existe um amor capaz de abrandar a vida da gente, uma vez só ele acontece e será o suficiente para justificar uma vida inteira, um amor em forma de gente que cuida e encorpa a alma da gente e que faz da estrada algo coerente. Subidas e descidas compartilhadas em par de asas, gêmeas que sabem fazer possibilidades de voos traçados e orientados na troca de olhar.
Alma é coisa do verbo amar... amor, uma conjugação de mar, do amar quase sem dor, do doer e sempre amar.

Casciano Lopes 
Outubro 2016
Estrada 46
Finalzinho do primeiro tempo

Cigano sentimento leitor

É preciso amor
aquele que bate fora do peito
para segurar nas mãos do outro
e saber ler o que elas dizem.

Casciano Lopes

2016

O ano das relações provadas e aprovadas,
do estreitamento dos laços,
do apertamento dos frouxos nós,
do laceamento das líquidas palavras
e do encantamento do que de fato importa...
O amor sacramentado na ferida calada e selada,
no benzimento de um beija-flor.

Casciano Lopes

Batida surda

Nada perco com o silêncio,
depois que aprendi calar
descobri que as pessoas
são mais interessantes...
Era o meu barulho
que me impedia de observar.

Casciano Lopes

Brincando de gente grande

Que nunca se acabe
o sonho da criança
e que nunca
se desmonte seu brinquedo.

Que nunca se perca
os dedinhos que apontam
nem o horizonte apontado
seu vizinho ao alcance das mãos.

Da criança, da criança, da criança...
até da que vive em mim.

Casciano Lopes

26.9.16

Bem que podia se fazer bem feito

Vivemos num mundo

em que se comemora a morte do outro... é bandido
em que se agride a vida do outro... é pecador
em que se dilacera a história do outro... é imoral
em que se perturba o silêncio do outro... é incômodo


Mundo em confusão numa agitação de mundos

sentimentos torpes de uma humanidade falida,
perdida e desprovida de qualquer essência que cheire bem,
que queira bem ou que traga nas veias a corrente do bem...
do bem que um dia fomos e que trouxemos aqui para fazer.

Casciano Lopes

25.9.16

Do lado de fora

Quem mede a dor da ansiedade?
Da curiosidade que a porta de um consultório divide
Quem mede?
Da agonia que faz do acompanhante um paciente
Da intranquila pulsação que faz arrítmico um coração
Da falta de notícias que traz uma mente em corpo de boatos
Quem mede?
Quem faz dos céus um pequeno mundo e do chão um poço sem fundo?
As horas que se esticam e os ponteiros que perdem a calma explicam:
Que se do lado de dentro a vida briga com a morte
Do lado de fora a paciência briga com a sorte
E atrás de futuro...
...Segue ambulância
Conclui-se que a vida precisa ser tomada
Abrigada, acreditada
Então, tudo entra no compasso
O coração entra no passo
O céu ganha espaço e o chão vira mundo bom.

Casciano Lopes

Estrada 46

Ao passo
que já não posso...
Ao passo
que já não faço...
percebo mais acertos dados
nos andados passos
não à perfeição do que traço,
mas o são no traçado do laço
com meu espaço
...por vezes devasso
...por vezes embaraço
mas sempre
com largos braços
quando abro o compasso
que da vida abraço.

Casciano Lopes

Caminhante condecorado

Conheci alguns heróis na minha vida
e isso fez toda a diferença na visão que tenho
e na distinção que faço
entre caminho e pedra do caminho,
embora compreenda a importância de ambos.

Casciano Lopes

Note

Carregue no bolso um bloquinho de notas e dois lápis,
um sem ponta.
A gratidão é importante, tome nota.
As ofensas não merecem ser lembradas e caso tenha o ímpeto da anotação,
use o lápis cego... sem ponta,
afinal você não precisa desapontar-se com suas anotações.

Casciano Lopes

9.9.16

Braçada de alma

No abraço cabe muito mais do que sou capaz de segurar
cabe nele um braço de mar e todas as águas que puder me banhar
cabem ondas, cais e todos os ais que não souber relevar
...No abraço da alma,
eu sei que cabe.

Casciano Lopes

5.8.16

Sacro lar da palavra

Houve um tempo em que pensei ver meu livro nas vitrines das livrarias,
depois pensei em contemplá-lo satisfeito nas estantes dos amigos,
por fim acordei comigo que já seria suficiente tê-lo na minha estante,
um pouco mais adiante imaginei que bastavam os leitores virtuais e que fossem muitos,
aí me dei conta que uns poucos já justificariam a palavra e sua forma de dizê-la.
A poesia é a única que quando se refere ao ontem fala de tempos,
os meus, guardo-os todos,
com cada importância,
com cada ontem,
embora hoje ainda busque o tempo da palavra
no templo de um leitor.

Casciano Lopes

29.7.16

22.7.16

Secreto bombardeio

...Das batalhas
que são vencidas diariamente
do lado de cá da trincheira,
só vestindo a farda pra saber,
já da guerra...
Todos ouvem rumores
e nem todos sabem dela.

Casciano Lopes

20.7.16

Moro onde moram os amores

Nosso bem querer tem capacidade de arquiteto,
feito projetista o coração constrói,
rua de casas coloridas com telhados avermelhados,
quintais esverdeados sem muros
e praças com seus bancos encerados...
Depois de tudo,
planta as pessoas amadas,
todas próximas umas das outras,
dividindo o açúcar
das paredes geminadas.


Casciano Lopes

15.7.16

Pátria amada

Ela finge gravidez pra furar a fila
Ele finge deficiência pra estacionar em vagas especiais
Ela comemora e esconde o troco a maior do bilheteiro
Ele comemora receber em duplicidade o pedido feito
Ela mente a idade pra entrar nos locais fechados
Ele mente pra conseguir benefícios do governo
Ela burla o sistema de ensino pra conseguir gratuidade
Ele burla as leis pra usurpar direitos de outros
Ela usa espaços reservados para idosos
Ele usa vagas e estaciona em locais proibidos
Ela desrespeita quando finge dor pra pegar atestado
Ele desrespeita quando dá a famosa 'carteirada'
Ela abre e esconde embalagens no supermercado
Ele esconde e abre em casa seus pequenos furtos
Ela ignora o farol fechado e a faixa de pedestres
Ele ignora seus pontos na habilitação e paga a fraude pra zerar
Ela camufla seu veículo detonado na vistoria
Ele camufla sua falta de conhecimento com 'cola' nas provas
Ela frauda a lista de presença das aulas e o livro de ponto
Ele frauda a seguradora e comemora o pecúlio
Ela fica feliz quando é promovida na demissão do colega
Ele fica nervoso quando isso não acontece com ele.
... Todos na passeata contra a corrupção por um país mais justo.

Casciano Lopes

Vítima de capitais

O homem com preguiça
acredita que a inveja
credita-lhe algum bônus,
ao menos no que se refere
à justificativa pelos pecados,
afinal comete dois.

Casciano Lopes

Veredito

Num tribunal onde a verdade vigore,
a mentira aprende rezar.

Casciano Lopes

13.7.16

A linha que não finda

Quando mudam os tempos verbais
E passado e futuro fazem do presente uma confusão de tempos
Quando o tempo fecha lá fora ventando pra longe o azul do céu
E nossa casa se perde no tempo sem saber se é inverno ou verão
Quando o tempo avança dentro da gente feito hora com pressa
E a gente sem tempo perde tempo tentando encontrá-lo
...É tempo de pausar tudo, de brecar nos trilhos o trem de ferro
...É chegada a hora de destruir relógios
E deixar que apenas a alma em tempo administre nossa ferrovia
Porque afinal e por fim, só mesmo ela entende de tempo.

Casciano Lopes

Multi

Eu posso entender a vida como única,
finda como finda um dia, o dia
ou posso entendê-la como fração
de um inteiro sem fim,
repleta de meios,
certidões de início
e de equações resolvidas ou não,
por fim.

Casciano Lopes

Dor[mente]

Na loucura da imaginação cabe tudo...
cabe a solidão e o medo dela
e até uma pequena cabana na beira do rio
com suas águas e peixes no cio.

Casciano Lopes

8.7.16

Com os anos

Entendemos que os dentes denunciam a nossa idade,
entendemos que os cabelos se não nos abandonam mudam de cor,
entendemos que cambalear não é mais apenas uma questão de bebedeira,
entendemos que a audição adquire a difícil tarefa de omitir sons,
entendemos que a visão recebe o dom de encurtar o caminho,
entendemos que as bolsas ao redor dos olhos não são mais sinônimos de baladas,
entendemos que as mãos reduzem seu poder de força,
entendemos que toda a pele se vinca em verdadeiros vales,
entendemos que a virilidade quando nos abandona nos deixa menos alegres,
entendemos as dores e inclusive lamentamos que a memória esqueça de tudo... menos delas... das dores.
No entanto, tão logo entendamos, precisamos adaptar a estrada,
colocar barras de proteção e sustentação por toda ela,
que essas barras [arrimos] tenham bases para suportar o toque das mãos que passam a ser leves e que o chão suporte os anos de um caminhar mais lento.
Que no intervalo entre o entender e o aceitar tenhamos aprendido a dizer sim mesmo diante de um não, que tenhamos de fato adquirido a sabedoria, sabendo que ela também pesa, porém, é o que nos fará levantar voo.

Casciano Lopes

6.7.16

Onde a poesia toma de assalto

Há mais poesia
na escadaria
na viela
na ladeira
no beco
no gueto
que talvez
na praça de vidro
onde tudo é proibido
ou na avenida de cristal
do frágil homem iludido.

Casciano Lopes 

Status válido

Ainda prefiro uma verdade calada
do que uma mentira falada.

Casciano Lopes

Trama de letras

Preciso vestir o peito e as costas
e que sobre tecido para cobrir os braços
ao menos em suas metades

Que deixem de fora as mãos
que sejam inteiras ...as mãos
e que os dedos sejam leves

Como penas que escrevem
de forma sem dó, sem medo
que todos os dez sejam corajosos

Para poetizar o tecido
que cobrirá a coragem de dizer
de forma nua o que precisa ser dito

E que as letras ao me desenharem a pele
tenham a delicadeza de respingarem pés e pernas
para garimpar ao caminhar o toque tecelão da vida.

Casciano Lopes

Sopram correntes

Quando me aperto num canto feito de breu
e me espremo nas lacunas do gueto feito meu

vem a nuvem e me acaricia com sua mão

quando carregada me encharca o chão
quando dirigível me transporta então

ocasiões sem 'teu e meu', mesmo que eu seja um plebeu.

Casciano Lopes

25.6.16

Das gratas mãos

Enquanto você não sentir confiança de segurar em tuas próprias mãos, admirando-as pelo trabalho feito e abençoando-as para fazer o que falta, não estarás pronto para estendê-las a quem quer que seja.

Casciano Lopes

24.6.16

É justo agradecer

A gratidão
ainda é uma das formas mais gentis
de morar no Universo.

Casciano Lopes

Intersecção do sujeito

Se esconder nunca foi caminho
nem se omitir foi estrada.

Por vezes nos sentimos ruelas
vielas de escadarias apenas.

Mas se nos emprestarmos aos passos
nos descobriremos ruas largas.

...Avenidas inteiras.

Casciano Lopes