11.10.10

Santana de Parnaíba



Tuas ruas e casinhas
Coloridas como em guache
Céu azul e praças
Em cores não há quem ache

Coreto e artesanatos
Pintando o sonho da gente
Bandinhas e a matriz
Rezando o tempo corrente

O Bartolomeu e teus bares
Teus tapetes e museu
Drama da Paixão, teu teatro
De um Cristo que não morreu

Os bonecos gigantes alegres
Teu carnaval de rua brincante
Corre por caminhos de Tietê
Não leva teu natal cantante

Coloridos em movimento
Tua gente guardada em mosaico
De história toda embalada
De passado sem ser arcaico

Vão-se os anos de teus mapas
Permanece calma a beleza
Que se avista lá da ponte
Dos alpendres da realeza

Dos telhados avermelhados
Avista-se tua planta
Uma Sant'Ana de Parnaíba
Feita com coração de Santa.

Casciano Lopes

Um comentário:

  1. curti muito principalmente tenho que fazer poemas sobre a cidade esse poema me inspirou

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem vindo, após aprovação será publicado.